Voltar

Forrageiras tropicais para integração lavoura pecuária: saiba mais

  • Integração
  • Publicado em 09/04/2018

As forrageiras tropicais possuem várias características que favorecem sua utilização em integração lavoura pecuária (ILP). Para te ajudar a entender melhor esse processo, explicamos abaixo as vantagens das gramíneas para o sistema de integração e apresentamos as principais características de cada espécie.

Vantagens das forrageiras tropicais para Integração Lavoura-Pecuária

• Crescimento mais lento na fase inicial com menor competição com a cultura associada;
• Maior tolerância à acidez e ao alumínio tóxico;
• Sistema radicular mais profundo, com maior tolerância à seca e maior reciclagem de nutrientes;
• Boa tolerância ao sombreamento apresentado por diversas cultivares.

Características das forrageiras tropicais

Cada tipo de forrageira apresenta propriedades agronômicas que permitem escolher os locais mais apropriados para o cultivo. Além disso, no momento da escolha das forrageiras tropicais também é importante considerar como os fatores ambientais afetam cada espécie.

Alguns aspectos podem ser modificados ou corrigidos, dependendo do objetivo do sistema de produção, como correção e adubação, irrigação, semeadura ou ajustes no manejo. Para saber mais sobre cada gramínea e sua utilização nas regiões do Brasil, continue lendo.

• Brachiaria

As forrageiras tropicais do gênero Brachiaria apresentam bons resultados de integração lavoura pecuária em sistemas no Cerrado e regiões mais quentes. As mais comuns são: Brachiaria ruziziensis cv. Kennedy, B. decumbens cv. Basilisk, B. brizantha cvs. Marandu, Xaraés, BRS Piatã e a BRS Paiaguás.

Elas se adaptam a solos ácidos e de baixa fertilidade, porém respondem bem a melhorias na fertilidade. Essas forrageiras apresentam altas produções em áreas com cultivos anuais, boa competição com plantas daninhas e efeito no controle de algumas pragas e doenças em cultivos com milho, soja e feijão.

No sistema de integração lavoura pecuária, com cultivo em solos férteis, as braquiárias apresentam melhor qualidade e proporcionam resultados satisfatórios na recria e engorda de bovinos de corte e produção de leite.

• Panicum

As cultivares do gênero Panicum são altamente produtivas e exigentes em solo e proporcionam bons ganhos de peso. As que mais se destacam são: Tanzânia, Mombaça, Massai e também BRS Zuri e BRS Tamani.

São adaptadas a solos bem drenados e exigentes em altas temperaturas, repercutindo em altas produções de forragem de boa qualidade. São indicadas em todas as fases da criação, especialmente na recria e engorda de bovinos e produção de leite. No sistema de ILP, devem ser usadas preferencialmente em pastejo por dois ou mais anos antes do retorno da cultura de grãos.

Fique atento à escolha das forrageiras tropicais para incluir na integração lavoura pecuária e escolha a espécie ideal para alcançar os objetivos da produção. Para mais informações, converse com nossos especialistas pelo número (62) 3291-7788 ou pelo site. Confira também nossa página de produtos e conheça nossas sementes.