24/01/2020
Vantagens da integração lavoura-pecuária
Unindo duas importantes atividades, a integração lavoura-pecuária tornou se uma fundamental estratégia para produção brasileira. Áreas anteriormente utilizadas somente pela pecuária agora dividem espaço com atividades da agricultura e da pastagem.
A maior contribuição trazida por tal integração lavoura-pecuária está ligada às pastagens em estado de degradação. Grandes porcentagens de áreas destinadas a esta cultura passam por tal situação. 

Quando tecnologias são aplicadas no processo de implantação destas pastagens, os problemas são reduzidos. Para que elas já iniciem o processo com a máxima produtividade, precisam de:
  • Correção da acidez do solo;
  • Adubação do solo;
  • Seleção da espécie adequada às condições do local;
  • Sementes de confiança;
  • Manejo regular.

O uso da tecnologia, em sincronização com a união entre as atividades de setor agropecuário e os sistemas de produção, deve criar um sistema com vantagens para todas as partes. Sendo assim, a integração lavoura-pecuária fica com o objetivo de cultivar o solo por praticamente o ano todo.

A partir desta agregação, é possível incrementar o desenvolvimento das sementes e aumentar o ganho em produção do gado ao mesmo tempo.
 

Processo de recuperação da pastagem

O que se sugere para evitar a formação de áreas degradadas é que se cumpra uma certa rotatividade de produção. No processo de correção do solo de pastagem, por exemplo, costuma se cultivar grãos por algum período de tempo. A partir daí, a acidez e fertilidade do solo são regularizadas.

Após a alternância de culturas, quando se volta a produzir pastagem, a tarefa é manter o nível de fertilidade encontrado anteriormente. O solo precisa estar resistente para dar continuidade ao ritmo de alta produtividade.
 

Produção de volumosos

Para a recuperação das áreas em desgaste, a produção de volumosos também conta como um importante impulso. Geralmente, é feita através da ensilagem, uma técnica de conservação de forragens (alimentação dos animais) em formato de fermentação.

Este material conservado serve como reforço da alimentação do rebanho em períodos, por exemplo, de estiagem. As cabeças ficam em confinamento e contribuem para que o produtor planeje melhor as atividades, em conexão com o desenvolvimento do solo.

Além dos grãos e da silagem, a produção do consórcio milho e pastagem poderá ser utilizada no período da seca. Através dele, o solo é corrigido e a raiz da forrageira se aprofunda buscando água na terra, gerando um pasto mais verde e de boa qualidade. Em seguida, ele servirá de fonte de alimentação para os animais.


Baixos custos de produção

Em estratégias como o consórcio descrito anteriormente, os custos de mão de obra caem significativamente. É possível reduzir as prestações de maquinário, insumos, etc. O ritmo funciona adubando se uma cultura e extraindo produção de duas.

Além da redução de investimentos, a integração lavoura pecuária é responsável por diversificar as alternativas de rendas na propriedade em processo. O faturamento passa a se embasar da diversificação, onde aumenta se a eficiência do uso dos recursos naturais, economiza se e preserva se o meio ambiente através da diminuição dos poluentes atmosféricos emitidos. Torna se, então, bom indicador econômico, pessoal e ambiental.