30/09/2020
Capim Xaraés/MG-5: A melhor cobertura de solo para pastagem de bovinos e equinos
Na criação e tratamento do gado, a alimentação exerce um papel extremamente importante, sobretudo para alcançar os objetivos esperados na qualidade dos produtos de origem animal. Sendo assim, os sistemas de criação do gado passam diretamente pela escolha adequada na formação de pastagens, já que esse aspecto pode fazer muita diferença nos resultados obtidos.

Por outro lado, diferente do que muitas pessoas imaginam, definir a melhor forrageira não é uma tarefa fácil e acaba gerando muitas dúvidas nos produtores. Afinal, para determinar o melhor produto, é preciso considerar aspectos importantes, como o tipo de terreno, condições do clima da região e as características de cada forragem.

Pensando nisso, neste post vamos explicar alguns detalhes que poderão ajudá-lo a criar um pasto mais eficiente e longevo com a aplicação do Capim Xaraés/MG-5. Continue a leitura e saiba mais!

Qual a importância de um pasto de qualidade?

Alcançar o êxito em negócios agropecuários é o objetivo de todo produtor rural, seja ele de pequeno, médio ou grande porte. Para tanto, muitos investimentos são realizados tanto no manejo do rebanho quanto nas pastagens. É preciso lembrar que a criação de gados para corte ou produção de leite está atrelada às condições de criação do animal, sobretudo em relação à alimentação oferecida ao gado.

Nesse sentido, para garantir as características exigidas pelo mercado, é fundamental oferecer uma alimentação equilibrada. Portanto, o uso de sementes de boas propriedades é indispensável para melhorar o desempenho das forrageiras bem como para promover uma maior economia no sistema produtivo.

Isso porque, sementes selecionáveis e de qualidade performam melhor em virtude do seu alto nível de germinação, aumentando a área para pastagem. Em outras palavras, uma cobertura eficiente deve ser capaz de fornecer aos animais todos os nutrientes necessários para um melhor desenvolvimento produtivo.

Quais as etapas para formar uma boa pastagem?

O primeiro passo é oferecer uma pastagem com plantas forrageiras de boa palatabilidade e digestibilidade, afinal, dessa forma é possível garantir aos animais um consumo adequado de alimentos.

Existem várias opções de forrageiras para formação de pasto. Entretanto, definir a espécie ideal depende diretamente de fatores como o objetivo do sistema de produção, capacidade de investimento e mão de obra disponível.

Além disso, vale lembrar que os animais podem apresentar um comportamento extremamente seletivo em relação à alimentação. De modo geral, os gados preferem capins com muitas folhas e poucos colmos. Por outro lado, esse tipo de pastagem apresenta características muito eficientes no que diz respeito a engorda dos animais.

De modo geral, as gramíneas brachiaria assim como o Capim Xaraés/MG-5 são muito utilizados em pastagens de produção de carne. Dessa maneira, os resultados apresentados na recria e engorda são extremamente consistentes.

Após definir a pastagem ideal para cada tipo de gado, deve-se cuidar da preparação do solo para receber a semeadura do primeiro pastejo. Assim, é possível garantir a formação de um pasto de qualidade. Para tanto, basta realizar os seguintes procedimentos:

  • nivele o solo;

  • proteja o terreno da erosão;

  • retire toda vegetação imprópria;

  • faça uma análise química do solo;

  • desenvolva um projeto de adubação eficiente;

  • elimine e controle às pragas e insetos;

  • garanta a umidade adequada do solo.

Capim Xaraés/MG-5, você já ouviu falar?

Indicado para o pastoreio, ensilagem e fenação para gados de corte e de leite, o Capim Xaraés/MG- é uma espécime das gramíneas que apresenta alta produtividade e tem um florescimento mais tardio. Por outro lado, esse tipo de forrageira traz um vigor vegetativo muito interessante para a agropecuária.

De alta adaptação às condições do clima e do solo, ela pode ser aplicada em terrenos com baixa disponibilidade de chuva, sendo bem aceita em regiões de estiagem prolongada e precipitações anuais de cerca de 3 mil milimetros.

Além disso, adapta-se perfeitamente bem aos terrenos com alto índice de acidez, solos arenosos e de alta ou média fertilidade. Outro detalhe importante sobre a forragem é sua boa adaptação às condições desfavoráveis de drenagem e sistemas irrigados, por exemplo.

Portanto, as principais vantagens no uso desse tipo de gramínea é sua produtividade, sobretudo em função das folhas mais largas e em virtude da velocidade no processo de rebrota. Isso se dá pelo fato de que o período de pastejo se torna mais longo durante a época de chuva, proporcionando um maior valor nutritivo e, consequentemente, de produtividade animal.

E aí, leitor. O que achou deste artigo? Se gostou do nosso texto e deseja obter mais informações sobre nossas sementes, entre em contato conosco e fale agora mesmo com um de nossos especialistas.